Informática

Recorde mundial de armazenamento batido por... fitas magnéticas

Recorde mundial de armazenamento batido por... fitas magnéticas
O recorde foi possível através da união de várias tecnologias: grânulos magnéticos menores, lubrificante otimizado, cabeças de leitura e escrita mais eficientes, novos sistemas de servo-mecanismos e novos sistemas de processamento de sinais. [Imagem: Sony]

Densidade de dados

Embora seja motivo de comemoração, este recorde não é nenhuma surpresa para quem acompanha o campo do armazenamento de dados.

Pela quinta vez consecutiva, as fitas magnéticas alcançaram a maior densidade entre todos os sistemas de armazenamento de dados, alcançando 201 gigabits por polegada quadrada (Gb/in2).

O recorde foi batido por uma colaboração entre a IBM e a Sony.

Apesar de distante dos usuários domésticos, o armazenamento em fita é atualmente a solução mais segura, mais econômica e mais energeticamente eficiente para guardar enormes quantidades de dados de backup e arquivamento de longo prazo.

Também são as fitas magnéticas que viabilizaram as tão faladas aplicações de megadados (big data) e computação em nuvem.

Armazenamento em fitas

O protótipo que bateu o recorde tem uma densidade de armazenamento por área 20 vezes maior do que o produto mais moderno atualmente no mercado, as fitas TS1155 da IBM.

Quando chegar ao mercado, a tecnologia permitirá gravar 330 terabytes (TB) de dados não compactados em um único cartucho de fita que cabe na palma da mão - 330 terabytes de dados é um volume comparável ao texto de 330 milhões de livros.

"Hoje as fitas têm sido usadas para arquivos de vídeo, arquivos de backup, réplicas para recuperação pós-desastres e retenção de informações proprietárias, mas a indústria também está se expandindo para aplicações não-proprietárias na nuvem," disse Evangelos Eleftheriou, da IBM.

"Embora a fita [fabricada por] pulverização deva custar um pouco mais para fabricar do que a fita comercial atual, que usa ferrita de bário (BaFe), o potencial para uma capacidade muito alta tornará o custo por TB muito atrativo, tornando esta tecnologia prática para o armazenamento a frio na nuvem," completou.

Bibliografia:

201 Gb/in2 Recording Areal Density on Sputtered Magnetic Tape
Simeon Furrer, Mark A. Lantz, Peter Reininger, Angeliki Pantazi, Hugo E. Rothuizen, Roy D. Cideciyan, Giovanni Cherubini, Walter Haeberle, Evangelos Eleftheriou, Junichi Tachibana, Noboru Sekiguchi, Takashi Aizawa, Tetsuo Endo, Tomoe Ozaki, Teruo Sai, Ryoichi Hiratsuka, Satoshi Mitamura, and Atsushi Yamaguchi
IEEE Transactions on Magnetics
DOI: 10.1109/TMAG.2017.2727822




Outras notícias sobre:

Mais Temas