Espaço

Mensagem alienígena simulada é decodificada rapidamente por voluntários

Mensagem alienígena simulada é decodificada rapidamente por voluntários
O radiotelescópio SKA, o maior do mundo, representará um novo capítulo na busca por inteligências extraterrestres.[Imagem: Xilos Studios]

Dos ETs e para os ETs

Há décadas os radiotelescópios têm estado alertas aos sons do cosmos na esperança de captar uma mensagem alienígena.

Ainda não tivemos sorte, então, enquanto espera, um pesquisador alemão teve a ideia de fazer uma rodada de testes: Ele simulou uma mensagem que teria sido recebida do espaço exterior e então desafiou o público a descriptografá-la.

"Eu fingi ser um alienígena que podia contar e tinha uma aparência física. Então criei uma foto do meu sistema planetário codificado em binário - zeros e uns," conta René Heller, pesquisador do Instituto Max Planck para Pesquisas do Sistema Solar, na Alemanha.

A ideia de Heller é baseada em algo que a humanidade já fez, gravando dados sobre a humanidade e nosso endereço cósmico em um disco de ouro, que está a bordo das sondas Voyager, que seguem rumo ao espaço exterior.

Em abril do ano passado, ele publicou a falsa mensagem alienígena em seus perfis nas redes sociais e deu um prazo de um mês para que os interessados apresentassem suas soluções. Agora, depois de analisar as quase 300 respostas que recebeu, ele acaba de publicar um artigo descrevendo o experimento.

Mensagem alienígena simulada é decodificada rapidamente por voluntários
O misterioso sinal "Uau" intriga os astrônomos há décadas. Mais recentemente, as suspeitas recaíram sobre enigmáticos sinais emitidos pela estrela Ross 128. [Imagem: Big Ear Radio Observatory/NAAPO]

Mensagem alienígena

No total, a mensagem fictícia de Heller contém cerca de 2 milhões de dígitos binários. Uma parte da mensagem corresponde a uma imagem dos ETs, com os 0s e 1s codificados como pontos brancos e pretos compondo a imagem. Outra parte lista os primeiros 757 números primos, para dar a qualquer pessoa que tentasse decodificar a mensagem uma pista de que os números eram cruciais para entender seu significado completo.

Uma terceira parte da mensagem é uma seção "sobre nós" fictícia dos alienígenas emissores, como sua altura média, tempo de vida e sua localização no espaço. Em vez de usar unidades tipicamente terrestres, como metros ou anos, para descrever esses detalhes Heller usou unidades derivadas de constantes naturais, como a velocidade da luz e a constante de Planck. "Estes são números que qualquer um no Universo deve ser capaz de derivar," justificou ele, ainda que alguns defendam que as "constantes fundamentais" da natureza costumam mudar e que as leis da física variam ao longo do Universo.

Mensagem alienígena simulada é decodificada rapidamente por voluntários
Confiantes em que encontraremos os ETs, mais cedo ou mais tarde, pesquisadores já propuseram a criação de uma Internet Galáctica para conversarmos com eles. [Imagem: René Heller/Ralph Pudritz]

Decifrando linguagens desconhecidas

Dentre as 300 respostas recebidas por Heller, 66 continham as soluções corretas. Um percentual de 22% de acerto parece indicar que estamos bem munidos de mentes sagazes para decifrar mensagens dos ETs quando elas chegarem.

Mas nem todos se convenceram disso.

"O experimento nos diz mais sobre os seres humanos do que sobre os aliens," disse o professor Claudio Grimaldi, do Instituto Federal de Tecnologia em Lausanne, na Suíça, acrescentando acreditar ser impossível comparar a mensagem de Heller com uma carta extraterrestre genuína porque a mensagem foi criada por um ser humano e não temos ideia de como seria uma mensagem criada por alienígenas.

Grimaldi não fica só na crítica. Ele sugere que a coisa mais próxima que temos de mensagens alienígenas é a linguagem dos golfinhos. Sabemos que os golfinhos têm alguma forma de linguagem, mas ainda estamos muito longe de compreendê-la, apesar de muitas pessoas terem tentado no passado e continuarem tentando.

Interpretar a linguagem dos golfinhos pode então se tornar um treino mais produtivo, conforme o SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre) continua em sua saga que já dura mais de 40 anos, com radiotelescópios ao redor do mundo atentos para possíveis mensagens alienígenas.

Além disso, quando o radiotelescópio mais sensível já construído, o SKA (Square Kilometre Array), terminar de ser construído, em 2020, ele também dedicará uma parte do tempo das suas super-orelhas para tentar ouvir mensagens enviadas por seres extraterrestres, e pode ser então que precisemos realmente exercitar nossa capacidade de decifrar mensagens em linguagens desconhecidas.

Bibliografia:

Decryption of Messages from Extraterrestrial Intelligence Using the Power of Social Media - The SETI Decrypt Challenge
René Heller
arXiv
https://arxiv.org/abs/1706.00653




Outras notícias sobre:

Mais Temas