Mecânica

Superliga de cobalto lembra vibrânio e adamântio

Liga de cobalto é quase tão boa quanto vibrânio ou adamântio
Conforme a ferramenta rotativa avança, ela mistura o metal, e a mistura e o fluxo do metal criam uma intensa deformação que dá as características superfortes à liga.[Imagem: Saurabh S. Nene et al. - 10.1038/s41598-018-28383-0]

Super metal

Ainda não é o vibrânio ou o adamântio, os metais fictícios usados para fazer o escudo do Capitão América e armaduras de outros super-heróis, mas chega perto.

A liga criada por engenheiros da Universidade do Norte do Texas, nos EUA, é cinco vezes mais resistente do que o aço convencional inoxidável.

Saurabh Nene criou a liga combinando ferro, manganês, cobalto, cromo e silício por meio de um processo híbrido que combina fusão por indução, fundição e processamento por fricção.

"O processo muda as propriedades de um metal por meio de uma intensa deformação causada pela inserção forçada de uma ferramenta rotativa no metal frio. Esse processo não apenas refina, mas também homogeneiza a microestrutura, levando a uma melhor resistência à tensão e tenacidade," disse ele.

Forte, mas caro

As ligas de cobalto já são usadas pela indústria aeroespacial, mas Nene acredita ser possível fabricar ligas ainda mais fortes usando outros elementos com características únicas.

E, por uma questão de custo, esta nova superliga deverá ficar circunscrita a aplicações especiais, embora não apenas para escudos de super-heróis.

"O único problema com a minha liga é o custo. Ela é muito cara para ser produzida para uso comercial. Por exemplo, o cobalto custa cerca de 78.500 dólares por tonelada, enquanto o ferro custa apenas 65 dólares por tonelada. Nosso próximo passo será começar a substituir por elementos menos caros, que gerem as mesmas propriedades," disse Nene.

Bibliografia:

Extremely high strength and work hardening ability in a metastable high entropy alloy
Saurabh S. Nene, Michael Frank, Kaimiao Liu, Rajiv S. Mishra, Brandon McWilliams, Kyu C. Cho
Nature Scientific Reports
Vol.: 8, Article number: 9920
DOI: 10.1038/s41598-018-28383-0




Outras notícias sobre:

Mais Temas