Materiais Avançados

Laboratórios científicos entram na onda do hardware livre

Equipamentos de laboratório entram na onda do hardware livre
Modelo 3D do FlyPi (esquerda) e modelo básico montado (direita). [Imagem: Tom Baden/CCAL]

Laboratório com hardware livre

Um brasileiro, atualmente na Universidade de Tubingen, na Alemanha, está por trás de um esforço de ciência aberta e hardware livre conhecido como "laboratório aberto", ou open labware - equipamentos de código livre para aplicações em laboratórios de pesquisa e ensino.

Juntamente com colegas do Reino Unido, André Maia Chagas acaba de apresentar o "FlyPi" - um sistema de imageamento e microscopia de baixo custo com capacidade suficiente para ser usado em pesquisas científicas, no treinamento de pesquisadores ou no ensino.

Os equipamentos necessários para os experimentos de neurociências, para os quais o FlyPi foi pensado, podem custar facilmente dezenas ou mesmo centenas de milhares de euros, limitando as pesquisas de alto nível e o treinamento científico aos institutos mais bem aparelhados dos países ricos.

O "FlyPi", que pode ser montado a partir de €100, consegue executar vários protocolos padrão de laboratório, incluindo microscopia de luz e fluorescência, optogenética, termogenética e estudos comportamentais em animais pequenos, como moscas da fruta, larvas de peixe zebra ou vermes C. Elegans.

Democratizando a ciência

O projeto é baseado em uma estrutura impressa em 3D que recebe um microcomputador Raspberry Pi, uma câmera, LEDs para iluminação e lentes simples, bem como um circuito de controle óptico e térmico baseado no Arduino, outro microcontrolador de código aberto.

Juntos, esses componentes custam menos de 100 euros para o sistema básico e podem ser modificados de acordo com os objetivos do laboratório. O sistema FlyPi oferece opções modulares e de baixo custo para pesquisa, e as instruções de uso são disponibilizadas gratuitamente através de plataformas de código aberto.

"Muitas instituições em todo o mundo têm pouco dinheiro para gastar em equipamentos caros. Acreditamos que é muito importante que o treinamento e a pesquisa em neurociências se abra a um número maior de estudantes e cientistas juniores. Assim, esperamos que, com laboratórios abertos como nosso FlyPi, possamos oferecer um ponto de partida," disse Tom Baden, membro da equipe.

O grupo envolvido no desenvolvimento do FlyPi já ministrou cursos de impressão 3D, programação e montagem de equipamentos de laboratório do tipo faça você mesmo em universidades do Quênia, Uganda, Gana, Nigéria, África do Sul, Sudão e Tanzânia.

Todo o projeto do FlyPi pode ser encontrado no endereço https://open-labware.net/projects/flypi/.

Bibliografia:

The €100 lab: A 3D-printable open-source platform for fluorescence microscopy, optogenetics, and accurate temperature control during behaviour of zebrafish, Drosophila, and Caenorhabditis elegans
André Maia Chagas, Lucia L. Prieto-Godino, Aristides B. Arrenberg, Tom Baden
PLoS Biology
Vol.: 15(7): e2002702
DOI: 10.1371/journal.pbio.2002702




Outras notícias sobre:

Mais Temas