Mecânica

Empilhadeiras ultrapassam carros sem motorista

Empilhadeiras ultrapassam carros sem motorista
As empilhadeiras são acionadas automaticamente pelo sistema sempre que é necessário movimentar uma carga. [Imagem: Chris Vaughan/University of Lincoln]

Empilhadeira sem operador

Desenvolver veículos autônomos que precisam trafegar sempre pelos mesmos espaços, como armazéns e fábricas, é bem mais fácil do que fazê-los circular por ruas e estradas, onde o inesperado está sempre pronto a acontecer.

Por isso, as empilhadeiras e veículos de carga sem operadores estão ultrapassando rapidamente os carros sem motorista quando o assunto é sua adoção prática.

Os primeiros testes demonstraram que frotas de empilhadeiras autônomas podem operar em armazéns ao lado de colegas de trabalho humanos para apoiar tarefas como embalagem, paletização, transporte e armazenamento de mercadorias e carregamento e descarregamento de caminhões.

O trabalho é resultado do projeto ILIAD, sigla em inglês para intra-logística com implantação automática integrada, que congrega engenheiros das universidades Orebro (Suécia), Lincoln (Reino Unido), Pisa (Itália) e Leibniz (Alemanha). Os protótipos foram construídos com a colaboração de cerca de uma dezena de empresas desses países.

Empilhadeiras ultrapassam carros sem motorista
As empilhadeiras já saem de suas garagens conhecendo a rota dos outros veículos e a localização mais provável dos operários. [Imagem: ILIAD/Divulgação]

Convivência de robôs e humanos

Se não é tão complicado fazer os veículos de carga andarem sempre pelas mesmos corredores e vias, onde é fácil padronizar sinalizações especiais, o desafio maior é garantir a segurança dos trabalhadores, que precisam transitar livremente pelos mesmos trechos sem ficarem restritos a leis de pedestres que restrinjam sua produtividade.

"Além do desenvolvimento de frotas de veículos autônomos que entram em operação sozinhas e se auto-otimizam, que são capazes de desembrulhar paletes e manipular bens empilhados, este projeto está crucialmente interessado na segurança e na colaboração de robôs e humanos. A segurança é abordada através do desenvolvimento de meios de detecção e rastreamento humano altamente confiáveis e uma integração sistemática de considerações de segurança," disse o professor Achim Lilienthal, coordenador do ILIAD.

"O projeto vai fazer avançar o estado-da-arte na interação humano-robô, superando as barreiras para uma maior adoção da automação nas operações de logística em muitas indústrias, começando pelo setor de alimentos," completou seu colega Tom Duckett.

A equipe agora está trabalhando na adaptação do sistema de controle das frotas de veículos para que eles possam ser prontamente integrados aos sistemas de informática das empresas.





Outras notícias sobre:

Mais Temas