Espaço

Vírus estão por toda parte - provavelmente também no espaço

Astrovirologia: Precisamos procurar vírus no espaço
Detectar vida extraterrestre não é tão simples quanto parece. Talvez por isso, outros pesquisadores estão mais preocupados em semear vida em outros planetas.[Imagem: Edith C. Fayolle et al. - 10.1038/s41550-017-0237-7]

Astrovirologia

Os vírus estão entre as entidades biológicas mais abundantes e menos compreendidas da Terra.

E eles muito provavelmente também existem no espaço - mas, até o momento, os cientistas quase não realizaram pesquisas sobre essa possibilidade.

Por isso, está na hora de inaugurar o campo da "astrovirologia", defendem Aaron Berliner (Universidade da Califórnia em Berkeley), Tomohiro Mochizuki (Instituto de Tecnologia de Tóquio) e Kenneth Stedman (Universidade Estadual de Portland).

O trio defende que existem vírus de montão soltos pelos Universo - e não apenas a bordo de planetas e luas.

Vírus espaciais

A panspermia - a distribuição da vida entre corpos celestes - é uma hipótese antiga, enquanto vários estudos têm demonstrado a possibilidade de que a vida na Terra pode ter sido semeada por meteoritos ou começado no espaço e chegado à Terra em cometas.

Mais recentemente, um pesquisador escocês finalmente encontrou o mecanismo que permite que "partículas de vida" sejam arremessadas de um planeta rumo ao espaço.

Mas o trio defende que a NASA e outras agências espaciais devem não apenas começar a procurar por vírus mais ativamente - incluindo em amostras líquidas das luas de Saturno e Júpiter -, mas também investir no desenvolvimento de tecnologias para detectar vírus em depósitos antigos na Terra e em Marte e determinar se os vírus da Terra poderiam sobreviver no espaço.

"Já se passou mais de um século desde a descoberta dos primeiros vírus," disse Stedman. "Entrando no segundo século da virologia, podemos finalmente começar a focar além do nosso próprio planeta."

Vírus extraterrestres

Os pesquisadores argumentam que, como existem mais vírus na Terra - os cálculos indicam de 10 a 100 vezes mais - do que qualquer outro organismo celular, o mesmo pode ser verdade em outros planetas e luas e no próprio espaço - daí o interesse em estudar sua sobrevivência no espaço.

Os vírus também parecem ser extremamente antigos, podem estar envolvidos na origem da vida e provavelmente se envolveram em todas as grandes transições evolutivas na Terra.

"Com este artigo, esperamos inspirar a integração da pesquisa dos vírus na astrobiologia e também apontar questões urgentes sem resposta na astrovirologia, particularmente no que diz respeito à detecção de bioassinaturas de vírus e se os vírus podem ser disseminados extraterrestrialmente," finalizou Stedman.

Bibliografia:

Astrovirology: Viruses at Large in the Universe
Aaron J. Berliner, Tomohiro Mochizuki, Kenneth M. Stedman
Astrobiology
DOI: 10.1089/ast.2017.1649




Outras notícias sobre:

Mais Temas